O foco da pesquisa são portadores de câncer de mama, próstata e colorretal, os mais incidentes no país

Os familiares e pacientes portadores de câncer de mama, próstata e colorretal, atendidos pela Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), terão o genoma e o registro do perfil clínico e epidemiológico mapeados pelo projeto Mapa Genoma Brasil. O objetivo do estudo é avaliar o histórico familiar dos pacientes, fator importante para o risco de desenvolvimento destes tumores. O levantamento iniciou neste mês de janeiro.

A pesquisa é desenvolvida em parceria com o Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, FCecon e Ministério da Saúde (MS), por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional (Proadi-SUS). Com abrangência nacional, também participam instituições de capitais das regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul. A proposta é que o levantamento dure um ano, podendo ser prorrogado por mais um triênio.

Escolha FCecon

De acordo com a enfermeira do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, Delciany Mylla Parente, a FCecon foi escolhida devido à localização na capital e à infraestrutura para a seleção, coleta, armazenamento e envio de amostras biológicas para o centro coordenador.

“Com o apoio da equipe multiprofissional da FCecon será possível realizar a busca e rastreamento dos pacientes. Contamos também com o apoio do corpo clínico médico para auxiliar-nos na coleta da amostra genética”, pontuou Aguiar.

Pela FCecon, participam como coordenadores da pesquisa a gerente do serviço de Mastologia, mastologista Hilka Espírito Santo, o urologista Giuseppe Figliuolo e a pesquisadora da Diretoria de Ensino e Pesquisa (DEP/FCecon), Valquíria Alves Martins.

Câncer de mama

Segundo Hilka Espírito Santo, a escolha deste tumor se deve ao impacto na incidência e mortalidade na população brasileira. Ela disse que, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2023, estimam-se para o Amazonas 500 novos casos de câncer de mama, sendo o segundo tumor mais frequente entre mulheres do estado.

“O mapeamento dos pacientes e familiares dos três tipos de câncer possibilitará a implementação de estratégias para a redução dos riscos dos tumores e diagnóstico precoce, tanto para a população em geral quanto para os grupos de alto risco para o desenvolvimento dos cânceres”, explicou Hilka Espírito Santo.

Levantamento de dados

Doutora em Imunologia Básica e Aplicada, Valquíria Alves disse que o projeto coletará informações, através de entrevistas e coleta de material biológico de pacientes e de familiares, para montar um banco de dados, com informações genéticas, clínicas e epidemiológicas.

“Pretende-se identificar mutações genéticas que contribuam com a hereditariedade e ao agravamento da doença. Assim, conheceremos o perfil populacional, permitindo personalizar o fluxo de atendimento de pacientes para alto risco de câncer”, explicou Alves.

Para a diretora de Ensino e Pesquisa da FCecon, Kátia Luz Torres, “pesquisas como esta proporcionam a assistência e fortalecem os grupos de pesquisa local, contribuindo para inserção das pesquisas como base estratégica para desenvolvimento da oncologia na região”.

FOTOS: Ludmila Dias/FCecon

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *