Ferramenta de busca digital da Secretaria de Fazenda localiza os preços mais baratos em segundos

No início do ano, uma das despesas que mais aflige os pais ou responsáveis de crianças e adolescentes em idade escolar é a compra do material para a volta às aulas. Uma das ferramentas que podem ser utilizadas para evitar o deslocamento pela cidade, e facilitar a economia, é o ‘Busca Preço’. O instrumento virtual desenvolvido pela Secretaria do Estado da Fazenda possibilita a consulta em toda a capital pelo espaço de tempo de 7 dias.

Tomando como base uma lista contendo 14 itens, que normalmente compõem a relação solicitada pelas escolas, técnicos da Secretaria da Fazenda identificaram diferença de preços de 1.777%. Nesta sexta-feira (27), os especialistas consultaram o valor dos itens: mochila, caneta, caderno de uma matéria, caderno de 10 matérias, caneta, lápis, livro didático, régua, bloco de anotações, corretivo, marca texto, apontador, borracha e estojo. A lista completa com os valores mais baixos ficou em torno de R$ 104,54, já a mais cara atingiu o custo total de R$ 1.962,36.

A pesquisa de custo foi realizada direto no site da Secretaria de Fazenda, www.sefaz.am.gov.br, colocando-se individualmente o nome de cada item constante na relação de material escolar de uma rede particular de ensino, para quem está matriculado no 2°ano do ensino médio. “O Busca Preço foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas para facilitar a pesquisa de qualquer item adquirido com nota fiscal. Tão logo a empresa emita o documento, a informação vai para base de dados da Sefaz, e em segundos, fica disponível para qualquer um que acesse a ferramenta. Há também a disponibilização dos valores mais recentes e com os preços mais vantajosos de uma forma de fácil identificação. Ao lado desses valores, a Secretaria de Fazenda colocou a figura de um foguinho, destacando que esta operação é a mais recente”, explicou o chefe do departamento de Tecnologia da Informação, Rodrigo Albuquerque.

O técnico enfatizou ainda que não existe periodicidade para a utilização da ferramenta, mas é possível especificar a data da procura, assim como a região geográfica a fim de facilitar o acesso pelos possíveis clientes. “Os interessados podem consultar pelos itens comprados recentemente, nas últimas 24 horas, 48 horas e até 7 dias. A Sefaz criou esse limitador para que o internauta tenha a maior chance de encontrar o produto na prateleira, já que em muitos casos, após essa data, muitos produtos já foram vendidos. Também criamos filtros por localização que delimitam a área em: 2 km, 5 km, 7 km, 10 km ou a cidade inteira. Isso facilita o acesso para pessoas que não tem condução própria, quem utiliza o sistema de transporte coletivo prefere comprar todos os artigos perto de casa”, esclareceu Rodrigo.

 O funcionário Diepson Menezes, junto com sua esposa Gabriela Souto, que é técnica em saúde bucal, são pais de uma criança de 4 anos, e compraram todos os itens escolares sem consultar a ferramenta do Busca Preço. “Não sabíamos que podíamos acessar e analisar as diferenças dos preços, principalmente material escolar. Essa ferramenta ajuda muito para economizar, porque além do material solicitado pela escola, gastamos com o fardamento também, e também podemos utilizar para buscar outros itens mais em conta”, comentou a mãe.

FOTOS: Divulgação/ Sefaz-AM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *